A NASA quer substituir até 2030 a ISS por modelos comerciais

Publicidade

O relatório que foi divulgado pelo órgão de auditoria da NASA, o Office of Inspector General (OIG), nesta terça-feira (30), detalha os gastos atuais da ISS e a necessidade de continuar os mais de 20 anos de pesquisas e presença humana no espaço. A Estação Espacial Internacional (ISS) pode ser substituída por uma ou mais unidades orbitais comerciais na baixa órbita da Terra, isso ocorrerá quando o laboratório se aposentar por volta de 2030.

Até o seguinte momento, a aposentadoria da ISS está planejada para 2024, mas tudo indica que a vida na estação será prolongada até 2030. Neste tempo entre a desativação da ISS e o fim da vida dentro dela, a NASA espera conseguir transferir todo o trabalho realizado a bordo da ISS para uma ou mais unidades orbitais comerciais.

A NASA quer substituir até 2030 a ISS por modelos comerciais

O relatório, relata a necessidade de criação de uma instalação de pesquisas na qual possa continuar a oferecer o suporte necessário para a continuação da presença humana no espaço, além dos altos custos para manter e executar os trabalhos a bordo da ISS.

O objetivo da operação é que a Terra e sua baixa órbita não fiquem sem um local em que as pesquisas possam ser realizadas e astronautas possam se preparar para missões mais longas, como a Lua ou até Marte. A NASA planeja ter uma estação comercial em operação até 2028 fornecendo dois anos de transição até o fim da estação.

Por que a ISS vai ser desativada?

Há mais de 20 anos a ISS foi uma grande feito da humanidade, ela fornece onde os experimentos científicos são feitos no espaço, sob as condições de microgravidade. Nesses mais de 20 anos, inúmeras tecnologias foram desenvolvidas e muitas delas foram aplicadas aqui na Terra.

A NASA quer substituir até 2030 a ISS por modelos comerciais

Porém, o espaço é um ambiente um tanto quanto hostil e, com mais de duas décadas nele, a ISS tem efeitos de longo prazo acumulados nela como a radiação ionizante e temperaturas extremas que envelhecem a estação espacial, portanto, o fim da ISS é inevitável.

O que virá depois?

Em junho de 2021 a NASA havia declarado que, quando a ISS se aposentasse, outras estações espaciais assumiriam seu lugar. As empresas Nanoracks, Voyager Space e Lockheed Martin pretendem construir a unidade orbital nomeada Starlab até 2027, 3 anos antes do fim definitivo da ISS.

A NASA quer substituir até 2030 a ISS por modelos comerciais

A Blue Origin, em parceria com a Sierra Space e Boeing, pretende lançar a Orbital Reef com a data limite de até 2030. Essa unidade terá um tamanho aproximado ao da ISS, com a capacidade de até 10 pessoas. Até lá a Axiom Space segue seu plano de enviar módulos para serem anexados à ISS antes que passem a funcionar como unidade independente em 2028.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.